segunda-feira, 2 de junho de 2014

IT'S A TRAP - Cultura e Humanização

  Depois de entender o conceito de cultura, sua diversidade, singularidade e individualismo, é hora de entender a relação dela com a humanização. 
  Exemplos da ficção como Tarzan, George, o rei da Floresta, Mogli, entre outros nos mostra que os seres humanos se desenvolveram mesclando sua racionalidade humana com valores e hábitos aprendidos no crescimento. Os instintos se sobressaem, por causa do contato com os animais, mas a humanidade nunca se perde.
  Sabendo disso, chega-se a conclusão que o que nos faz humano não é a natureza e, sim, a cultura, ou seja, nosso modo de criação e o local que nos circunda. Se a nossa diferença para os animais parece ser a racionalidade, a antropologia diz que tem mais: nós fazemos com que a natureza esteja nosso favor, temos consciência e, mais que tudo, desenvolvemos uma linguagem simbólica. Resumindo: não basta nascer humano, para as características humanas prevalecerem 100% é preciso ter contato com humanos, isso significa que, a formação de qualquer indivíduo está relacionado com a sua convivência com seus semelhantes. E, claro que quanto mais convivência e experiência, mais valores morais você aprende. 
  No entanto, se sabemos que para ser humanizado, a pessoa deve viver em sociedade e ter contato com outros seres iguais, o que impede uma abelha e uma formiga serem "humanizadas"? Não é tão difícil: eles não produzem cultura, não tem comunicação, aprendizado ou socialização.

0 comentários:

Postar um comentário