quarta-feira, 11 de junho de 2014

HQ - Batman #23

É importante saber que o capítulo todo é baseado em uma metáfora com relação a uma ocasião onde aparentemente Bruce caiu num buraco e, seu pai o ajuda, depois de algumas dificuldades. E, é por meio de uma relação metafórica, que vemos um zonzo Bruce apanhando de algumas ferramentas encontradas em sua própria casa. O interessante é que essas ferramentas deveriam ser mortais e, que Bruce, na época, já deveria ter um grande conhecimento e habilidades corporais, nos fazendo refletir como ele apanhou tanto. Talvez por causa do fogo? Talvez, mas mesmo assim não é algo fácil de entender...

Ouvimos então o relato do líder do Capuz Vermelho, que diz que a morte dos pais de Bruce o inspiro. Da onde sai uma ótima frase, dita por esse*: "No fim das contas, o que as pessoas temem é o nada, Bruce. A aleatoriedade. O centro vazio. Se você olha demais pra ele e tenta entender, acaba ficando louco. Tudo o que se pode fazer é ter medo e sobreviver. Essa é a verdade." E, é assim que ele deixa Bruce na casa prestes a desabar, mas não antes de dar dois tiros na foto dos pais de Bruce. Tiros esse que ele considerou "simétrico". 


E, é pela metáfora que Bruce consegue chegar a um ponto seguro, desmaiando e, sendo salvo por Alfred. O interessante daí é que percebemos o surgimento de uma das maiores parcerias das HQ. Mesmo com a discussão feia no capítulo anterior, Alfred ainda assim ajudou Bruce, o costurando quase que inteiro. E, é daí que Alfred deixa isso claro: "O que estou tentando dizer é que podemos discordar, podemos brigar, mas não importa o que aconteça... Não importa mesmo... Eu sempre estarei aqui para remendá-lo. Isso eu posso prometer." Pelas duas análises, dá pra perceber que eu gosto muito do Alfred e admiro a relação que os dois tem. Dá uma olhada numa foto da cena:



Mesmo todo ferrado, Bruce é capaz de andar e, vai até algum cômodo de sua enorme mansão. Olhando alguns objetos, ele pega algum tipo de bola (?) e, com ela na mão, chega perto do busto do seu pai, pra quem ele pede desculpas e, etc. E, então, a bola começa a brilhar e ele está em outro lugar (?). É sério, alguém entendeu essa parte? Enquanto eu escrevia isso, eu consegui entender. A metáfora entra em cena quando o cenário que aparece são cavernas, onde provavelmente Bruce se perdeu quando criança. A voz do pai dele o guia até uma janela, da onde entram vários morcegos, atravessando Bruce. E, é assim que Bruce decide virar um morcego. E, é quando temos uma pequena referência a clássica cena de Bruce sentado, quando um morcego entra por sua janela.



* É interessante como todos os vilões do Batman (não só do Batman, mas principalmente dele) tentam demonstrar de alguma forma, uma explicação para as coisas ruins que fazem. A recente saga do Chapeleiro Louco demonstra muito bem isso.

0 comentários:

Postar um comentário