quarta-feira, 21 de maio de 2014

IT'S A TRAP - Expansão Marítima e Comercial

 Com crises econômicas, social e políticas, e com a queda da população, os governos europeus buscavam alguma solução. Tal solução era procurar em outros lugares, recursos e conhecimentos. Foi assim que surgiu a Expansão Marítima, que vinha com a necessidade de produtos orientais, principalmente as especiarias (cravo, canela, pimenta).
  Além de conseguir novas terras e, produtos, os principais objetivos da expansão eram: encontrar uma nova rota para as Índias e, eliminar o intermediário, ou seja, quebrar o monopólio das cidades italianas (sendo as principais Gênova e Veneza).
  Tal ação foi apoiada por todas as castas sociais, que tinham como objetivos:

  • Burguesia: novas rotas comerciais, novas formas de comércio e novos produtos.
  • Clero: expansão da fé católica e novas terras
  • Nobreza: novas terras e mais capital
  • Rei: mais terras e, expansão de seu poder e de sua influência.

Portuga

  O país que apresentou pioneirismo na expansão foi Portugal. Tal pioneirismo tem diversos motivos, sendo os principais:
  • Boa posição geográfica;
  • Precoce centralização política, a Revolução de Avis. Isso foi muito importante porque apenas um estado absolutista com poder centralizado poderia possuir e render capital para investir em uma ideia tão cara quanto à Expansão Marítima;
  • Tradição náutica. Portugueses já tinham experiências náuticas, por meio da pesca do bacalhau, entre outras atividades;
  • Escola de Sagres: reuniões de marinheiros com o objetivo de trocas de informações.
  Considera-se que a burguesia comercialista tenha sido a principal "investidora" da Expansão, já que eram a maioria e, apresentavam interesses econômicos muito grandes.
  A primeira conquista de Portugal foi Ceuta. Após a conquista de Ceuta, Portugal foi conquistando várias outras regiões por meio do seu plano, o chamado Périplo Africano. O plano dizia que para chegar até as Índias, os marinheiros portugueses circundariam a África. No caminho, é claro, conquistavam alguns territórios e, abriam novas rotas comerciais, muitas vezes abrindo portos, da onde a saída de barcos e entrada de produtos eram obrigatórios. Foi também fazendo colônias que, Portugal enriqueceu mais, já que encontrou em diversos países, novas fontes de metais preciosos. O encerramento do plano de Portugal se deu em 1500, com a descoberta do Brasil por Pedro Álvares Cabral.

Espanha

  O segundo país a aderir a Expansão foi Espanha. Tal processo espanhol foi retardado por causa da Guerra da Reconquista, que só acabou em 1492, com o domínio espanhol sobre Granada, o último reino muçulmano. Foi após a devida centralização que o rei aceitou o projeto de Cristóvão Colombo. Tal projeto dizia que a terra era redonda e, que ele chegaria ao Oriente indo pelo Ocidente, fazendo assim uma volta ao mundo. No entanto, no mesmo ano, Cristóvão Colombo chegava a América, acreditando ter chegado à Ásia.

  O domínio dos dois países (Portugal e Espanha) na América ocasionou alguns desentendimentos sobre territórios. Para resolvê-los, foi assinado o Tratado de Tordesilhas, que dividia o mundo entre as duas nações ibéricas. 

França e Inglaterra

  Muito mais tardiamente, França e Inglaterra se "jogaram" ao mar para procurar uma nova rota às Índias, falhando miseravelmente. Já que ignoravam o Tratado de Tordesilhas, por achá-lo injusto, por dividir o mundo apenas pros dois países, França e Inglaterra chegaram as Américas e, colonizaram. França colonizou algumas partes do Brasil, enquanto a Inglaterra colonizava a América do Norte.

  Pelo fracasso do principal objetivo: a rota para as índias, esses países se viram realizando cada vez mais atividades envolvendo piratas e corsários, além do forte contrabando.

OBS: Piratas não representam países. Corsários sim.





João Krauss

0 comentários:

Postar um comentário